HISTÓRIA | COMPREI UMA CASA HORRÍVEL #1

Vivi seis maravilhosos anos em Lisboa, é a cidade que me fez crescer… pois não tinha outro remédio. Sempre vivi em casas arrendadas, mas mudei-me de casas seis vezes. Adoro. Mudar e recomeçar é algo que tem de acontecer na minha vida, senão sinto-me estagnada. Há mais ou menos três anos e meio decidi fazer uma mudança um pouco maior e vim viver para uma cidade bem pertinho de Barcelona, mas aqui não consegui trocar de casa nem uma vez. Os aumentos ridículos das rendas fizeram que me mantivesse sempre na mesma casa. Até agora.

Eu e o meu namorado compramos a nossa primeira. Foguetes. Palmas. Alegria. Mas ela é horrível. O bom gosto é difícil de encontrar e os anteriores donos estavam bem longe de o ter por perto (pelo menos aos meus olhos críticos). Ele é cores estridentes na parede. É texturas esquisitas. É textos melancólicos em tipografia tipo romântica. É pavimentos castanhos combinados com todas estas cores e umas portas meio cinzentas… Bom, é tudo o que eu não queria na minha casa. Mas comprei-a. Não estou louca, só acho que a casa tem muitooooooo potêncial e está muito bem tratada (com mau gosto… mas não se pode ter tudo).

Ainda não tenho a data prevista para que me dêem a chaves, mas antes de entrar na casa vai passar por umas pequenas remodelações, essenciais para o meu cérebro não ficar pior do que já está. Principalmente, mudaremos todo o pavimento (à exceção da casa de banho e cozinha) e pintaremos toda a casa de um lindo, brilhante, cintilante e refrescante branco imaculado.

Nesta primeira publicação, partilho as primeiras inspirações, não sei se vai ficar alguma coisa parecida (rapidamente mudo de opinião), mas são as primeiras ideias. Pensamos numa mistura de minimalista, nórdico e detalhes industriais. No fim deixo umas fotos (de péssima qualidade… desculpem) do estado atual da casa. M-e-d-o!

 

Calma. Agora inspirem e expirem, lentamente… antes de passar às próximas fotos.

Nos próximos episódios do drama “A Casa Horrível” conto-vos mais detalhes e como a coisa está a avançar.

Tags :

Também vai gostar:

2 Responses

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *