Viagens da Carolina

  • Esta semana, uma rapariga de pouco mais de vinte anos disse-me que não gosta nada de viajar. Não condeno, mas não percebo. Para mim, viajar é o momento de conhecer outros e outras realidades, perceber que a vida não é tão simples como nós a vemos no nosso dia-a-dia e, por vezes, a complicamos tanto. […]
  • Adorava poder viajar por todo o mundo e viver em vários sítios do planeta. Vou fazendo este percurso pouco a pouco, mas nos fins-de-semana gosto de aproveitar para conhecer sítios desconhecidos. Aqui, na Catalunha, aos sábados, gosto de descobrir pequenas aldeias medievais, encantar-me com a Costa Brava e respirar o ar puro da montanha, mas […]
  • Faço esta viagem várias vezes e ei de continuar a faze-la sempre. Mas nunca falei de ela no Meu Rebuliço. É o meu regresso a casa, às origens, ao colo da minha mãe e a uma cidade linda e cheia de encantos que, para quem lá nasce, só percebe quando saí (pelo menos comigo foi […]
  • Este ano, as minhas férias, foram muito mais que uma viagem de prazer e descanso. Foram uma experiencia cheia de aventuras e vivencias, felizes, menos felizes, divertidas, chocantes… houve de tudo. A Índia é um país especial, cheio de contrastes que nos fazem pensar no que realmente importa. Normalmente, este país, com mais de um […]
  • Estamos em pleno verão e o calor aperta, a praia é o destino mais apetecível e a mim apetece-me relembrar a minha viagem à Tailândia.
  • Era cedo, muito cedo e lá fomos nós para o aeroporto. Partimos de Banguecoque até Chiang Rai, a capital de província mais a norte do país. A região faz fronteira com Myanmar e Laos. Um lugar longínquo, que ainda não foi dominado pelo turismo de massas.
  • Estes mercados eram muito tradicionais na Tailândia. Principalmente, nos arredores de Banguecoque. A maioria, tornou-se numa atracção turista, mas não deixaram de transmitir a sua essência. 
  • Depois de uma longa viagem de doze horas, chegamos. Finalmente. Eram quase dez da manhã, quando sentimos o bafo inconfundível de Banguecoque. Estavam cerca de trinca e seis graus, mas no real feel dizia quarenta e quatro. Terrivelmente abrasador.
  • Foi a viagem. A tal, que estava a precisar para chegar, continuar e vencer. Qualquer que seja o destino, é sempre uma inspiração. Conhecer realidades e culturas diferentes é uma aprendizagem. Dá-nos tempo para pensar e dar valor ao que realmente nos faz feliz.