Casas Nórdicas

  • Um lar, onde não há cor, nem sequer uns meros salpicos. Tudo são cores neutras, cinzas, brancos, bejes e negros. Mas, não é por isso, que esta casa deixa de ser confortável, alegre e com uma grande personalidade.
  • Ela chama-se Sofia e é administradora do blogue e da loja online www.mokkasin.blogspot.se. A sua vida corria normalmente, vivia em Estocolmo, com os seus dois filhos e o seu marido. Até que engravidou, de gémeos. Precisava de espaço. Espaço para os dois pequeninos, que estavam a vir, e para trabalhar.
  • Em 1887, em plena cidade de Estocolmo, este edifício foi construído para servir de estábulo. Mas, no ano passado, foi quase toda remodelada e transformada numa fantástica casa, com todas as mordomias que necessitamos nos dias de hoje.
  • Do MAISON HAND, surge este delicioso apartamento, com apenas trinta e cinco metros quadrados, repletos de elementos naturais, em Lyon.
  • A decoração típica dos países do norte da Europa são, normalmente, com um brilhante fundo branco, pavimentos de madeiras e muitos tons suaves. Mas este apartamento é diferente, o branco brilhante está lá, o pavimento de madeira também mas os tons suaves, transformaram-se numa explosão de cores vivas. Que alegram esta casa e transmitem muita […]
  • É verdade, são apenas cinquenta e cinco metros quadrados que fazem este deslumbrante apartamento, na Suécia.
  • Desta vez viajamos até à Nova Zelândia, mais especificamente à ilha de Waiheke. Um lugar banhado pelo golfo de Hauraki, onde a água e a natureza são os anfitriões.
  • Madelynn Furlong, e o seu marido Caylon, são os proprietários desta simpática casa, inspirada na decoração nórdica mas construída no país das oportunidades, EUA.
  • Poucas foram as informações que descobri sobre este apartamento. Mas o Meu Rebuliço, gostou tanto das imagens, do brilho e da felicidade que transmitem, que decidiu partilhar com vocês.
  • Voltamos à Suécia. Um país onde, a maioria da sua população, decora os seus lares de forma simples, funcional e com elementos naturais. Onde uma casa é uma casa e, não, um local de exposição.
  • Por aqui, não há muito o hábito de apreciar grandes casas. Locais onde nos perdemos com tantas salas e quartos, excesso de informação para um sítio só. Mas há sempre excepções, que nos enchem o coração e nos fazem esquecer qualquer preconceito que tenhamos.
  • O nome diz tudo. Um refúgio, que o gabinete arquitectura Wim Goes Architectuur criou em 2008, para interligar a arquitectura com a natureza. Um local sem par, onde a casa parece flutuar sobre as águas do lago que a rodeiam.